SÉRIE DE ENTREVISTAS COM AS PERSONAGENS DA INTENDENTE

Nome: RENATO FIGUEIREDO

Cargo: CARNAVALESCO

Agremiação: G. R. E. S. UNIÃO DE MARICÁ

Grupo: Série C da LIESB

1. Conte-nos a sua trajetória no Carnaval?

Renato Figueiredo: Sou pesquisador de carnaval e desenhista, premiado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, em 1994, no projeto sobre os direitos da criança e do adolescente, CRIANÇA TAMBÉM TEM DIREITO, tendo meu desenho ilustrado o livro referente ao projeto, escrito pela autora Maria Clara Machado. No carnaval, me qualifiquei cursando Gestão de Carnaval, curso politécnico de nível superior, na Universidade Estácio de Sá. Participei do 1º Congresso do Carnaval, no Campus Tom Jobim, UNESA, participando das oficinas de ENREDO, ministrada por Milton Cunha e ADEQUAÇÃO DA FANTASIA AO ENREDO, por Mauro Quintaes e Roberto Szaniecki. Fui ouvinte nas palestras de Joãsinho Trinta, Alexandre Louzada e Milton Cunha. Atuei na produção do primeiro espetáculo da Cidade do Samba, Cidadão Samba / 2006, integrando a equipe de Carlinhos de Jesus e Milton Cunha. Logo em seguida fui convidado pelo carnavalesco Alexandre Louzada a me tornar integrante da equipe artística da comissão de carnaval do GRES Beija-Flor de Nilópolis, entre 2006 e 2007, tendo a agremiação conquistado o título do carnaval daquele ano. À época, participei diretamente da criação e concepção de diversas fantasias de alas além do oitavo e último carro alegórico, para o enredo ÁFRICAS: DO BERÇO REAL À CORTE BRASILIANA. Em 2007/08 assumi, junto a Arthur Reiy o carnaval do GRES Gato de Bonsucesso, criando e desenvolvendo o enredo DELÍRIOS E DEVANEIOS DE SUA ALTEZA REAL DONA MARIA VAI COM AS OUTRAS. No ano seguinte, 2008/09, fui convidado a assumir a Gestão de Carnaval do tradicional GRES Em Cima da Hora, tendo que, no decorrer do ano acumular funções, contribuindo no desenvolvendo artístico do enredo SOB AS BARBAS DE NOÉ, COLORI DE AZUL E BRANCO A ARCA DE VINÍCIUS. Em 2009/10 colaborei com Arthur Reiy no desenvolvimento do enredo BENDITA BADERNA, no GRES Gato de Bonsucesso. Em 2011/12 fui responsável pelos desenhos dos figurinos do GRESV MOCIDADE LEOPOLDENSE / RS, com enredo NA FORÇA E NA FÉ, A MOCIDADE CANTA O PADROEIRO DO RIO GRANDE, O GUARDIÃO DA CHAVE DO REINO DOS CÉUS, do carnavalesco Édy Dutra. Em 2013/14, fui convidado pelo diretor geral de Harmonia, Gilberto Cabeça Rica, a retornar ao GRES Em Cima da Hora, integrando o quadro de Harmonias. Neste ano a agremiação retornava a Marques de Sapucaí, pelo grupo A, reeditando o clássico OS SERTÕES. Em 2015 fui convidado a integrar o quadro de Harmonias do GRES Portela e, desde então, também passei a colaborar com o GRES União de Maricá em seus eventos de quadra, harmonia e direção de carnaval, posteriormente passando a fazer parte da Diretoria Executiva. Em 2016 assumi o cargo de carnavalesco, integrante da comissão de carnaval do GRES União de Maricá. Desde 2006 sou Diretor da Torcida Guerreiros da Águia (Portela), a primeira torcida organizada de Escolas de Samba, fundada em 2003.

2. Fale-nos do enredo da escola para 2017?

Renato Figueiredo: O Brasil é um país cheio de heranças culturais, principalmente indígenas, africanas e europeias que, pela oralidade, se consolidaram ao longo de diversas gerações. Devemos lembrar de como o homem, desde que começou a viver em comunidade, assentando acampamentos com sociedades seminômades e depois sedentárias, adquiriu o hábito de se reunir em volta de fogueiras para contar histórias, verdadeiras ou não, mas que serviam como entretenimento e formação de costumes. Dessa natureza de contar histórias, surgiram os contos de fadas e os contos maravilhosos. Também surgiram as fábulas. Mas um tipo de história sempre esteve presente, a lenda; que tem a pretensão de fazer o outro acreditar, por mais fantasiosa que seja. Entretanto, para muitos, essas mesmas histórias são mais do que simples contos fantasiosos, mas verdades contadas de avós para pais e de pais para filhos, incontestáveis embora inexplicáveis. O folclore brasileiro, de uma forma ou de outra, sempre esteve presente nos desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro. Porém, ao mesmo tempo que volta e meia surge em forma de alegorias ou fantasias, está ausente pela insuficiência de um enredo exclusivamente sobre esses personagens que residem na memória popular; pois nenhum enredo de fato, se debruça sobre os mesmos, transformados em meros coadjuvantes da nossa cultura, quando na verdade, deveriam ser os protagonistas. Assim, o GRES União de Maricá traz como proposta para o carnaval de 2017, nas palavras anciãs verbalizadas pelos antigos pretos-velhos, o enredo Mistérios da Meia-noite, que pretende mostrar na avenida dos desfiles, histórias da terra encenadas por personagens muito conhecidos e ao mesmo tempo temidos, como Lobisomens, Sereias, Mulas sem cabeça, Curupira, Saci-Pererê, Boitatá, Bicho Papão, Cuca, Boto Rosa, Mãe do Ouro e etc. Ou seja, o enredo proposto é, na verdade, uma homenagem ao folclore brasileiro e seus contadores de histórias.

3. Quais são as expectativas da agremiação para este carnaval?

Renato Figueiredo: Por sermos uma agremiação com apenas um ano de fundação, seguindo para o seu segundo carnaval, temos um trabalho mais intenso que a maioria das co-irmãs, pois ao mesmo tempo que trabalhamos o carnaval 2017, temos que continuar a nossa estruturação e formação, que é dinâmica e constante. Estamos buscando a melhor formação técnica dentro dos nossos quadros e realidade. É um trabalho de médio a longo prazo, visando a nossa afirmação definitiva no carnaval carioca. Pelo resultado expressivo em nosso primeiro desfile (4ª colocação) a cobrança está sendo maior, mas a vontade de fazer bem feito também. Temos uma equipe de excelentes profissionais em todos os seguimentos o que nos deixa bastante confiantes em mais um grande carnaval.

4. Qual será o destaque principal da escola para o desfile?

Renato Figueiredo: Dentre alguns, primeiramente destaco a garra dos nossos componentes que, já no primeiro ano (2016), fizeram acontecer, evoluindo e cantando com muita vontade. Além disso, o conjunto de fantasias, que estão em uma constante em relação a qualidade, da comissão de frente até a última ala, o público e juri apreciarão belos figurinos, muito bem pensados, defendidos e confeccionados, em relação ao enredo.

5. Como está o barracão da escola (fantasias e alegoria(s))?

Renato Figueiredo: As fantasias estão em torno de 80% prontas e o trabalho na alegoria se inicia na primeira semana de fevereiro.

6. Como virá a escola, em relação a nº de alas, componentes, quantos setores serão o desfile?

Renato Figueiredo: São 14 alas, em torno de 500 componentes e um carro alegórico. O desfile está dividido em 3 setores.

7. Deixe-nos uma mensagem para a galera que acompanha o Carnaval da Intendente.

Renato Figueiredo: Primeiramente parabenizo, em nome de nossa agremiação, o site SAMBA NA INTENDENTE pelo belíssimo, competente e importante trabalho junto às agremiações que desfilam neste palco popular e de base do carnaval Carioca. Desejamos a LIESB e demais co-irmãs e ao público espectador, em geral, um excelente carnaval, repleto de alegria para todos. Somos uma agremiação de fora do eixo tradicional do carnaval carioca, mas com muita humildade e trabalho seguimos na busca de nosso espaço, trabalhando sempre com máximo de profissionalismo e dedicação aos fundamentos da nobre arte e cultura do carnaval. Finalizo com o mantra sempre proferido pelo nosso Presidente, Mauro Alemão: “Chegou Maricá! Chegou Maricá!!!”. Sucesso, sempre!

Muito obrigado Renato Figueiredo pela participação e ótimo Carnaval!

Anúncios