GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO DO CHINA

DATA DE FUNDAÇÃO: 28/08/1971

PRESIDENTE: MARIA DA PAZ JESUS DO NASCIMENTO

SEDE: RUA FRANCISCA TOMÉ, 719, CENTENÁRIO, DUQUE DE CAXIAS/RJ

CARNAVAL 2017

ENREDO: OS QUILOMBOS, OS PÂNTANOS E A HIDRA

COMISSÃO DE CARNAVAL: REGILENE COSTA DIAS, LUCINETE DA SILVA GONÇALVES, MARIA DA PAZ JESUS DO NASCIMENTO

SINOPSE

Os escravos negros não tinham liberdade e não recebiam salários, viviam em senzalas e eram mal tratados por seus senhores.

Muitos deles revoltados fugiam para os quilombos. Quilombos eram povoações formadas por negros que fugiam de seus donos.

Na mitologia grega, a “Hidra de Lerna” era um monstro que habitava um pântano junto ao Lago de Lerna. Era um mostro com corpo de dragão e três cabeças de serpente, mas quando uma dessas cabeças era cortada, nasciam mais duas no lugar. Além disso, o hálito da Hidra era venenoso. Apenas de cheirar os seus rastros, os homens morriam em terrível tormento.

Entre os rios Sarapui e Iguaçu, entre a Fazenda São Bento do Iguaçu e o vilarejo da freguesia de Nossa Senhora do Pilar, estava localizado o Quilombo do Bomba. Em 1825, por exemplo, o chefe da polícia da corte informava ao Ministro da Justiça a existência de grandes quilombos entre Sarapui, Rio Iguaçu e outros lugares.

O Tenente Francisco Miguel, encarregado do bloqueio dos pretos que escaparam do cativeiro e formavam quilombos nos pântanos entre os rios Sarapui e Iguaçu, segundo a documentação da época, era preciso de pelo menos três embarcações apropriadas para navegar nas águas baixas daqueles rios.

Em 1882 as forças de repressão do poder constituído identificaram o africano Gabriel como o Rei do Quilombo do Bomba, depois de um processo de repressão bem sangrento, aquele africano foi capturado provocando o processo de degradação da organização quilombola daquela localidade.

Embora tenham desencadeado diferentes iniciativas para a destruição dos quilombos no território de Duque de Caxias, com a presença de milícias armadas de capitães do mato e do Exército Brasileiro, os quilombos jamais foram extintos.

Conhecidos como a “Hidra de Iguaçu”, a Hidra uma analogia ao monstro quase indestrutível da mitologia grega, Iguaçu em função do rio que ainda corta o território do município de Duque de Caxias.

Atualmente Duque de Caxias é uma cidade com quase 1 milhão de habitantes. A densidade de negros na sua população aproxima-se à 85%, desse modo pode-se afirmar que Duque de Caxias é uma cidade negra. Esta afirmativa não se dá apenas pela presença negra em sua demografia, mas sobretudo na cultura, as principais referências culturais da cidade de Duque de Caxias, como as Folias de Reis, as casas de Candomblé, os dois Monumentos em homenagem a Zumbi de Palmares, as rodas de Capoeiras e sobretudo os Blocos Carnavalescos, são expressões da cultura Afro Brasileira em nossa cidade.

No entanto, foi somente em 13 de maio de 1888 que a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea que dava liberdade a todos os escravos no Brasil.

O Bloco Carnavalesco do China é sem dúvida herdeiro dessa tradição e cultura negra da nossa Cidade.

Fim

Autor: Prof. Dr. Nielson Rosa Bezerra

Anúncios